Politica

INEM. Santana Lopes diz que caso de Amaral Dias é "inaceitável"

Líder da Aliança revela que passou por um episódio semelhante

Pedro Santana Lopes usou a sua página no Facebook para falar sobre a morte de Carlos Amaral Dias e recordar que passou por episódio semelhante no passado.

Em causa está o alegado atraso do INEM no socorro ao pai de Joana Amaral Dias. De acordo com a ex-deputada do Bloco de Esquerda, o psicanalista de 73 anos sentiu-se mal às 09h00 terça-feira e a ambulância chegou ao local minutos depois. No entanto, Carlos Amaral Dias só chegou ao hospital depois das 11h00, já sem vida. “Reparem que o trajecto da sua residência ao São José é bastante curto. O que aconteceu foi um cocktail fatal de acidentes, negligência e incompetência", afirmou Joana Amaral Dias nas redes sociais.

Para Santana Lopes, o que aconteceu é “inaceitável” e “revoltante”. O líder da Aliança revelou que já teve de passar por um episódio parecido e defendeu que deve ser aberto um inquérito para apurar o que se passou.

“O meu pai morreu há 7 anos, depois de uma situação em que esperou hora e meia por uma ambulância, depois de cair em Tróia. Custa muito, mas neste caso com o notável psicanalista, ainda mais incompreensível é. Na verdade, morava no centro de Lisboa, perto do Hospital São José e demorou duas horas a chegar lá. Que Portugal é este? Inquérito? Pois sim”, escreveu na sua página no Facebook o líder da Aliança.