Internacional

Sobe para seis o número de mortos após erupção de vulcão na Nova Zelândia. Operadores turísticos investigados

Várias pessoas estão hospitalizadas com ferimentos graves.

Um dos feridos na sequência da erupção do vulcão de White Island, esta segunda-feira, não resistiu aos ferimentos, aumentando assim o número de vítimas mortais para seis.

"A polícia confirma que morreu mais uma pessoa na sequência da erupção na ilha Whakaari/White Island, elevando o balanço de mortes oficial para seis. A pessoa estava a receber tratamento no  Hospital Middlemore", refere o comunicado da polícia neozelandesa, informando ainda que a vítima mortal estava hospitalizada em estado grave.

Entretanto ainda não foram confirmadas as nacionalidades das vítimas mortais. A ilha é conhecida por ser uma atração turística. No momento em que o vulcão Whakaari entrou em erupção, estavam na ilha, ou perto dela, cerca de 50 turistas neozelandeses e estrangeiros.

Oito pessoas continuam desaparecidas e, depois da morte de um dos feridos, continuam hospitalizadas 30 pessoas, devido às feridas e queimaduras causadas na sequência da erupção.

"É possível que nem todos os pacientes sobrevivam", disse o porta-voz do Ministério da Saúde, Pete Watson.

Esta terça-feira, a polícia da Nova Zelândia anunciou ainda que vai abrir uma investigação criminal para determinar se houve responsabilidades dos operadores turísticos, e outras instituições, nestas mortes.

Hoje os esforços centram-se em tentar perceber como voltar à ilha para recuperar os corpos das pessoas que continuam desaparecidas. "Não podemos dizer a 100% que todos estão mortos, mas há fortes indícios de que não resta ninguém vivo na ilha", disse John Tims, responsável da polícia.

Embora a última erupção fatal na ilha tenha sido há mais de um século, em 1914, em que morreram 12 mineiros que trabalhavam numa mina de enxofre, “White Island tem sido um desastre à espera de acontecer”, disse, ao Australian Science Media Centre, o professor Ray Cas, da Universidade de Monash. “Sempre senti que era demasiado perigoso permitir as visitas diárias de grupos à ilha vulcânica inabitada, de barco ou de helicóptero”.

Em novembro, a agência neozelandesa GeoNet aumentou o nível de risco vulcânico em White Island de um para dois - o nível mais alto antes de uma erupção -, mas isso não parece ter alterado os padrões das visitas ao local, propriedade da fundação Buttle Family Trust.