Opiniao

A pensar no Natal ou já em 2020…

Quando todos só falam na Black Friday ou no Natal, mudo o shift já para o próximo ano e para algumas das tendências que a Trendwatching já lançou , antecipando oportunidades e desafios. Perceber estas tendências pode ajudar as marcas a melhor se relacionarem com os seus consumidores.´

Em primeiro lugar, vivemos claramente sobre uma ‘pressão verde’, em que os consumidores cada vez mais consomem de forma ecológica, escolhendo marcas e produtos que cumpram este propósito. Esta mudança de comportamento do consumidor deve-se refletir no compromisso das marcas como um todo, para que assim correspondam às expectativas de quem as escolhe.  

Hoje em dia se não é ‘verde’ sabemos que muita resistências e polémicas se podem abater sobre a estratégia das marcas. 

Em segundo lugar e focando agora na tecnologia o tema dos avatars ganha cada vez mais expressão. Num cenário em que a media está cada vez mais fragmentada, as marcas devem procurar soluções em que avatars assumem diferentes personalidades, habitando depois no mundo digital. O toque humano deve sempre que possível para marcar presença para que se consiga manter o lado emocional.

Por outro lado, verificamos que a constante evolução dos serviços e da sua digitalização, com uma crescente customização e um foco na conveniência, faz com que cada vez mais o consumidor espere relevância nos serviços e na forma como comunicamos com as marcas. 

Não é por acaso que estas tendências vivem centradas no bem estar, no que podemos fazer para melhorar a nossa vida. 
E falando em melhorar a nossa vida, chegamos à 4.ª tendência que está diretamente relacionada com a epidemia de burnout a que assistimos hoje em dia. A constante pressão para estarmos no nosso máximo, a nível pessoal e profissional, põe em causa muitas vezes o nosso bem estar e a nossa própria sanidade e relações com os outros.  Assim há um foco crescente em tudo o que ajude a sentir bem e também aí as marcas podem marcar uma posição.

Por último, não podemos deixar de for a todo o fenómeno das redes sociais e de como tem evoluído a abordagem a esse novo meio. Do voyerismo total e até de uma frustração inexplicável, passamos agora para uma crescente necessidade de evitar comunidades ou mensagens tóxicas, procurando plataformas onde possamos ser livremente nós próprios e relacionarmo-nos de forma mais saudável e importante.

É neste conjunto de tendências que podemos planear o nosso ano e perceber como podemoz encaixar as marcas no melhor caminho, construindo uma história que não terminará tão cedo e apostando no que realmente importa. 
Até porque já sabemos o que nos espera: ano novo, vida nova.

*Diretora Criativa Havas Sports & Entertainment