Sociedade

Furto de cadáveres em cemitério de Aveiro intriga autoridades

“É macabro, para mim não há explicação, andarem a mexer em corpos, em cadáveres”, afirmou Adérito Ferreira.

Dois cadáveres foram furtados de um jazigo num cemitério em Vagos, no distrito de Aveiro. O caso remonta ao início de novembro, mas mais de um mês depois as autoridades continuam intrigadas com o caso.

Adérito Ferreira recebeu uma chamada da filha a dizer que o coveiro do cemitério de Santo André, em Vagos, a tinha informado que tinham andado a estragar campas e que o jazigo da família tinha sido uma delas.

O homem foi a cemitério e com”surpresa” percebe que os corpos do irmão e do pai tinham sido roubados. “Tive conhecimento pela GNR que o corpo do meu irmão desapareceu uns dias antes do do meu pai”, contou Adérito Ferreira à TVI24.

“É macabro, para mim não há explicação, andarem a mexer em corpos, em cadáveres”, afirmou.

Adérito Ferreira fez queixa à GNR que está agora a investigar o caso, mas não há ainda conclusões.

 A junta de freguesia de Santo André que tem a gestão do cemitério também já prometeu instalar câmaras de vigilância para evitar futuras situações semelhantes.