Sociedade

SAD do Boavista alvo de buscas

A SAD está a ser investigada por suspeitas de crime de fraude fiscal e branqueamento de capitais.

Cerca de 80 elementos da Polícia Judiciária e elementos da Autoridade Tributária realizaram, esta quarta-feira, buscas nas instalações da SAD do Boavista, no Porto, e em mais 12 locais.

De acordo com o Jornal de Notícias, em causa estão suspeitas de crime de fraude fiscal e branqueamento de capitais, estando identificada uma vantagem patrimonial "de milhões de euros"

 "Foram levadas a cabo dez buscas domiciliárias e três buscas não domiciliárias (que incluíram dois escritórios de advogados, duas sociedades anónimas desportivas e dois cofres bancários)", nos concelhos de Porto, Vila Nova de Gaia, Guimarães e Aveiro, avança um comunicado da Polícia Judiciária, emitido esta manhã.

Em causa está a "não entrega da prestação tributária devida, e a sua subsequente ocultação através do desenvolvimento de atividade empresarial relacionada com a realização e gestão de eventos desportivos". 

Os suspeitos envolvidos serviam-se de diferentes ferramentas, entre os quais a utilização de faturação falsa emitida por empresas nacionais e estrangeiras e a ocultação de proveitos, utilizando "aconselhamento jurídico e técnico especializado"

"Para o branqueamento foram usados mecanismos como a aquisição de bens móveis e imóveis por sociedades exclusivamente constituídas para o efeito, assim como o investimento em organizações desportivas, com conluio de agentes desportivos", pode ler-se na nota. 

Fonte da SAD do Boavista afirma que está a colaborar com as autoridades e que ninguém dos quadros do clube foi alvo de buscas domiciliárias, segundo o Jornal de Notícias. 

Até ao momento não há arguidos constituídos.