Internacional

Jovem arrisca pena perpétua por ter assassinado violador

O homem vendia a jovem, que na altura tinha 17 anos, a outros homens.

Uma jovem de 19 anos arrisca-se a enfrentar uma pena de prisão perpétua depois de ter matado um homem de 34 anos que, alegadamente, a violava e a vendia a outros homens para que estes pudessem abusar sexualmente dela. Chrystul Kizer é acusada de, aos 17 anos, ter baleado Randall Volar com dois tiros na cabeça - depois de mais uma violação -, de ter incendiado a sua casa e de ter roubado o seu carro de luxo, em junho de 2018.

O facto de, na altura, a jovem ter contado que o seu agressor também a vendia a outros homens, fez com que os seus advogados alegassem que ela devia ser protegida pelas leis que protegem as vítimas de tráfico humano. No entanto, os procuradores disseram que esse tipo de leis não se aplicava a este caso, afirmando que para isso era preciso que ela estivesse envolvida na prostituição e que a vida dela corresse perigo – algo que não acreditam que estivesse a acontecer.

Os procuradores afirmaram também ter provas, através de telefonemas entre a arguida e o seu namorado, de que o homicídio e o incêndio foram premeditados.

Segundo estes, ela terá pesquisado como deveria esconder as provas e terá confessado a algumas pessoas o que estava a pensar fazer.

A jovem é agora acusada de homicídio premeditado em 1.º grau, posse de arma e incêndio culposo, estando presa sob a fiança de um milhão de dólares, cerca de 90 mil euros. A cantora Rihanna e Kim Kardashian já vieram em defesa desta jovem, cujo destino vai ser dedcidio em fevereiro.