Sociedade

Depressão Elsa já fez duas vítimas mortais e 51 desalojados

Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) estendeu o aviso vermelho emitido para os distritos de Viseu, Guarda, Castelo Branco, Coimbra e Aveiro até às 03h00 de sexta-feira.

A passagem da depressão Elsa por Portugal já provocou a morte de duas pessoas e deixou 51 pessoas desalojadas. De acordo com o último ponto de situação da Proteção Civil, realizado esta quinta-feira à noite, já se registaram mais de quatro mil ocorrências de norte a sul do país, entre as 15h00 de quarta-feira e as 21h00 de hoje.

Segundo o comandante da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) Ricardo Nunes, a maior parte das 4.200 ocorrências registadas “estão relacionadas com inundações e quedas de árvores". De acordo com o responsável, os distritos de Braga, Porto, Viseu e Coimbra são os mais afetados pelo mau tempo.

"O que nos preocupa mais neste momento é a situação de Águeda, é provável que venha a sofrer cheias semelhantes a 2001", disse Ricardo Nunes.

Sobre as pessoas desalojadas, o comandante da Proteção Civil garantiu que estão “bem e realojadas”.

Recorde-se que um homem, de 50 anos, morreu, no Montijo, depois de uma árvore de grande porte cair sobre o pesado de mercadorias que conduzia. Em Castro Daire, outro homem morreu depois de a casa onde estava ter desabado.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) estendeu o aviso vermelho emitido para os distritos de Viseu, Guarda, Castelo Branco, Coimbra e Aveiro até às 03h00 de sexta-feira devido à previsão de rajadas de vento fortes.