Economia

Sexto diretor em sete anos no canal público

Com Flor Pedroso de saída, José Fragoso assume os comandos da informação da RTP, recuperando metade da direção anterior.

Em sete anos, seis diretores de informação. É este o cartão de apresentação da RTP que agora tenta colocar alguma tranquilidade na empresa. Para o efeito, foi buscar o seu diretor de programas que acumulará o cargo com a informação. Mas José Fragoso procurou na composição da sua equipa agradar a gregos e troianos. Por isso, reconduziu metade da equipa liderada até segunda-feira por Maria Flor Pedroso, que apresentou a demissão depois de ser acusada pela equipa do Sexta às 9 de ter boicotado uma reportagem, de ter adiado outra e de desvalorizar uma terceira.

Para completar o ramalhete foi buscar Carlos Daniel à delegação do Porto, um nome que chegou a ser noticiado como diretor de informação antes de Flor Pedroso ter sido nomeada. Na altura, como agora, houve muita guerrilha política à volta da direção do canal público. E não foi por acaso que o Conselho Geral Independente (CGI) disse um dia antes da indigitação de Fragoso esperar «que o Conselho de Administração possa propor, com celeridade e no interesse da empresa, uma nova Direção de Informação que mantenha, no essencial, a orientação que a anterior Direção vinha a seguir, a qual correspondeu ao modelo de serviço público definido pela Lei da Televisão».

Resumindo, que siga a linha editorial de Flor Pedroso.

Antes da luz verde para a indigitação de José Fragoso, houve um debate no Parlamento onde a ministra da Cultura acusou o PSD de querer criar «um clima de instabilidade na RTP» para possibilitar a privatização do canal público. Os sociais democratas não se ficaram e responderam que o Governo fugiu da polémica para não se chamuscar e que o PSD não quer «conviver com a suspeita de interferência política ilegítima na comunicação social, muito menos na estação pública». 

Voltando à nova equipa diretiva, além de Carlos Daniel, Fragoso convidou Adília Godinho e ainda António José Teixeira, que transita da equipa da agora ex-diretora de informação.

Quem também transitou da equipa de Maria Flor Pedroso foi Joana Garcia, Rui Romano e Hugo Gilberto, que serão subdiretores de informação. Segundo alguns meios de comunicação social, Flor Pedroso vai regressar à Antena 1, não se sabendo o futuro de Cândida Pinto e Helena Garrido, ex-diretoras-adjuntas de informação.

O Conselho de Administração garantiu que «irá proceder às formalidades legais com vista à entrada em funções da nova equipa». Isto porque a Entidade Reguladora para a Comunicação Social terá de dar o seu parecer.

Plenário arrasou Flor Pedroso e Cândida Pinto
Na segunda-feira, depois da demissão de Flor Pedroso, os jornalistas reuniram-se em plenário e e condenaram o comportamento da diretora: lamentamos a «violação dos deveres deontológicos dos jornalistas e de lealdade para com a redação por parte da diretora de informação demissionária, no decorrer da investigação do chamado ‘Caso ISCEM’». No comunicado, os jornalistas condenaram também o comportamento de Cândida Pinto.