Economia

Preços das casas voltam a subir e disparam mais de 10% no terceiro trimestre

No entanto, as vendas caíram entre julho e setembro ao terem sido realizadas 45 830 transações.

Os preços das casas subiram 10,3% no terceiro trimestre, em relação a igual período do ano passado. Esta tendência já se tinha verficado nos três meses anteriores, entre maio e junho, os valores já tinham aumentado 10,1% em termos homólogos. 

No entanto, as vendas caíram entre julho e setembro ao terem sido realizadas 45 830 transações, o que representa uma redução de 0,2% por comparação com o mesmo trimestre de 2018. Nos meses referidos, o valor das transações aproximou-se dos 6,5 mil milhões de euros, mais 3% que no 3º trimestre de 2018. 

No trimestre em análise observou-se uma variação homóloga de 3,5% no valor das transações das habitações existentes, para 5,2 mil milhões de euros e um aumento de 0,9% no valor das habitações novas, para 1,3 mil milhões de euros. Relativamente ao trimestre anterior, o valor das transações de alojamentos, no 3º trimestre de 2019, aumentou 6,6% interrompendo uma série de três trimestres consecutivos de reduções em cadeia. O crescimento no valor das transações foi extensível a ambos os tipos de habitações, 7,0%, no caso das habitações existentes e 4,8%, nas habitações novas. 

De acordo com os mesmos dados, entre julho e setembro, a Área Metropolitana de Lisboa, com um total de 15 489 transações, e a região Norte, com 13 302, representaram 62,8% do total das transações de habitações (-0,3 p.p. face ao trimestre anterior). Este foi o terceiro trimestre consecutivo em que as duas regiões mencionadas, a par do Algarve (que registou 3 334 vendas), apresentaram reduções nas respetivas quotas relativas regionais.

No período em análise, transacionaram-se 9 079 habitações na região Centro e 3 074 no Alentejo, constituindo dois novos registos máximos da série destas regiões. As Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira registaram vendas de 768 e 784 habitações, respetivamente. No 3º trimestre de 2019, o valor dos alojamentos transacionados na Área Metropolitana de Lisboa fixou-se nos 3,0 mil milhões de euros, representando 46,6% do valor total (-3,0 p.p. face ao trimestre homólogo).

O Norte, Centro e Alentejo atingiram os montantes mais elevados da série em termos de valor das transações, com registos de 1,5 mil milhões de euros, 850 milhões de euros e 260 milhões de euros, respetivamente. Nestas três regiões observaram-se aumentos das respetivas quotas relativas de 0,6 p.p., 2,2 p.p. e 0,3 p.p., pela mesma ordem. No Algarve, o valor das transações aproximou-se dos 632 milhões de euros, correspondendo a 9,8% do valor total, ou seja, -0,3 p.p. face ao período homólogo. As vendas de habitações na Região Autónoma dos Açores totalizaram 73 milhões de euros, enquanto na Região Autónoma da Madeira as transações superaram os 103 milhões de euros.