Internacional

Matou irmã grávida de oito meses e encenou suicídio porque ela era "um constrangimento para a família"

Eduardo, de 19 anos, confessou crime.

Um jovem, de 19 anos, admitiu que estrangulou a irmã, que estava grávida, e que encenou a sua morte para parecer um suicídio, no Texas, Estados Unidos, porque ela era um “constrangimento para a família”.

De acordo com a polícia, citada pela imprensa norte-americana, antes de Viridiana Arevalo, de 23 anos, desaparecer a 17 de dezembro, Eduardo Arevalo disse à família que a irmã, que estava grávida de oito meses, era suicida e que já tinha encenado um suicídio falso. A jovem foi encontrada sem vida a 22 de dezembro.

As autoridades conseguiram deter Eduardo Arevalo graças às imagens de videovigilância. O homem acabou por confessar que matou a irmã no dia 16 de dezembro.

O suspeito admitiu ainda que matou a irmã porque ela era "um constrangimento para a família" e que "seria melhor não estar cá". O homem confessou que escreveu uma nota de suicídio para que parecesse que tinha sido a jovem a tirar a própria vida.

Eduardo Arevalo aguarda julgamento em prisão preventiva.