Economia

Transportes com 48 queixas por dia no primeiro semestre

Ao todo foram registadas pela Autoridade da Mobilidade e dos Transportes mais de oito mil reclamações nos primeiros seis meses deste ano.

Nos primeiros seis meses de 2019, foram registadas pela Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) 8 713 reclamações. Esta é uma das principais conclusões do Relatório sobre as Reclamações no Ecossistema da Mobilidade e dos Transportes, hoje divulgado, e que revela ainda que, das queixas apresentadas, 7 666 dizem respeito a reclamações no Livro de Reclamações dos diversos operadores e prestadores de serviços do setor da mobilidade e dos transportes. Mais de 1 040 tiveram outras origens.

Feitas as contas, a AMT revela que, no total, foram apresentadas, em média, 48 queixas por dia. Ainda assim, o número é inferior ao registado em igual período do ano passado, altura em que foi registada uma média de 57 queixas por dia.

A AMT esclarece ainda que, comparativamente com o número de reclamações rececionadas no segundo semestre de 2018, foi também registado um decréscimo de -16,4%, o equivalente a menos 1 718 reclamações.

 

Queixas Considerando o universo de 17 motivos principais, explica a AMT, constata-se que, nos primeiros seis meses deste ano, os mais reclamadores representam um total de aproximadamente 68% das queixas totais. Estas reclamações foram relativas ao cumprimento defeituoso ou incumprimento dos visados face às suas obrigações contratuais, preços, pagamentos ou bilheteiras e à qualidade do atendimento.

 

Passageiros Comparando também com o segundo semestre do ano passado, as reclamações registadas nos primeiros seis meses deste ano, registam uma descida generalizada no número de reclamações em todos os setores: o subsetor ferroviário de passageiros registou uma quebra de 37% em queixas e os subsetores fluvial e rodoviário de passageiros registaram, respetivamente, quebras de 16% e 14%.

No que diz respeito ao setor ferroviário, o número de passageiros transportados atingiu os 80 milhões, no primeiro semestre deste ano, um valor que representa um aumento de 7,2% face ao segundo semestre do ano passado.

Já o metro foi utilizado, nos primeiros seis meses do ano, por 130,2 milhões de passageiros, um aumento de 7,4% face ao último semestre de 2019.

O único transporte a registar uma diminuição de passageiros foi o fluvial, que transportou 10,4 milhões de pessoas no primeiro semestre deste ano, uma diminuição de 13,8% em relação aos últimos seis meses do ano passado.