Politica

Ano Novo. Marcelo quer um governo "forte, concretizador e dialogante"

Presidente da República proferiu a sua quarta mensagem de Ano Novo a partir da ilha da Corvo. Marcelo Rebelo de Sousa pediu um executivo forte e concretizador e, ao mesmo tempo, definiu as prioridades para 2020: Saúde, Segurança, Coesão e Inclusão, Conhecimento e Investimento. E disse-o exatamente por esta ordem.

Foi a 1890 quilómetros de Lisboa, a partir da ilha do Corvo, ( a mais periférica e ocidental do País), que Marcelo Rebelo de Sousa falou aos portugueses na tradicional mensagem de Ano Novo.  À hora de almoço,  o Presidente da República fez esta quarta-feira um discurso com alguns avisos e recados para futuro e definiu algumas prioridades para 2020. À cabeça estava a Saúde.
 “Esperemos e trabalhemos – repito, trabalhemos e não só esperemos – para um ano de 2020 melhor do que o de 2019. E, porque, nesse trabalho, nesse labor, há, olhando à escassez de recursos, prioridades a determinar, concentremo-nos, em 2020, na saúde, na segurança, na coesão e inclusão, no conhecimento e no investimento", afirmou o Presidente da República num discurso curto.

No seu último ano de mandato ( em 2021 há eleições presidenciais), Marcelo Rebelo de Sousa fez uma análise sobre o mundo, a Europa e Portugal. Sobre o País, o Chefe de Estado pediu um " Governo forte, concretizador e dialogante, para corresponder à vontade popular, que escolheu continuar o mesmo caminho mas sem maioria absoluta, oposição também forte e alternativa ao Governo, capacidade de entendimento entre partidos quando o interesse nacional o assim exija". Dito de outra forma: o Governo não tem maioria absoluta e, por isso, é preciso diálogo.

O Presidente defendeu ainda que as Forças Armadas devem ser encaradas como "efetivo símbolo de identidade nacional", as forças de seguranças devem ser "apoiadas", a justiça "atempada" , sem esquecer até a comunicação social " resistente à crise financeira que a vai corroendo". 

O chefe de Estado fez a passagem de ano no Corvo, e mergulhou ao largo da ilha do Corvo para cumprir a tradição do primeiro banho do ano.