Economia

Altice encaixa 200 milhões com venda de torres de telecomunicações

A Cellnex chegou a acordo com a Altice Europe para ficar com 100% da Omtel,  operadora portuguesa de torres de telecomunicações.

A Cellnex chegou a acordo com a Altice Europe para ficar com 100% da Omtel,  operadora portuguesa de torres de telecomunicações, por cerca de 800 milhões de euros. Deste valor, 200 milhões de euros são relativos à venda de 25% da participação que a Meo tinha na empresa que resultou da venda das torres da antiga PT.

A aquisição prevê ainda a instalação de 400 novas infraestruturas nos próximos 4 anos. “Tendo em conta a evolução do mercado português e o desenvolvimento da rede 5G, os planos de crescimento da Cellnex estimam que o programa de construção de novas infraestruturas (BTS) poderá́ ser atualizado com a construção de 350 infraestruturas adicionais até 2027. O investimento estimado para o plano do construção (contratado e previsto) é de  140 milhões de euros”, diz a empresa em comunicado. 

Recorde-se que a OMTEL é a empresa que a Altice vendeu, em setembro de 2018, ao consórcio Belmont Infra Holding’s (inclui a Horizon Equity Partners de Pires de Lima e Sérgio Monteiro e o o fundo de infraestruturas da Morgan Stanley, o mesmo que adquiriu parte do negócio da fibra ótica da Altice em Portugal) por 660 milhões de euros. 

Atualmente, a OMTEL detém contratos com uma duração média de vinte anos com períodos adicionais de cinco anos, sendo a antiga Portugal Telecom o principal cliente. Com esta operação, as vendas futuras contratadas vão crescer 2,5 mil milhões de euros, evoluindo para um total de 38,5 mil milhões. A OMTEL opera atualmente 3.000 infraestruturas em Portugal, o qual passa a ser o oitavo país da Europa onde a Cellnex exerce a sua atividade.

"Uma vez finalizada a integração da OMTEL e concluída a construção das novas infraestruturas estima-se que o EBITDA1 adicional gerado para o Grupo seja de 90 milhões de euros. A aquisição e os futuros investimentos serão financiados com a disponibilidade de caixa do grupo Cellnex e os fluxos de caixa gerados pela própria empresa", acrescenta.