Cultura

Rússia. Investigadores descobrem túmulo de amazonas

O túmulo foi descoberto no início de dezembro e contém os restos mortais de quatro mulheres que terão sido amazonas e que viveram há cerca de 2.500 anos

Os restos mortais de quatro mulheres, pertencentes a três gerações distintas, foram encontrados no início de dezembro num túmulo num cemitério de Devitsa, a oeste da Rússia. As mulheres, que pertenceram ao povo nómada cita, terão vivido na segunda metade do século IV a.C e, segundo a equipa de investigadores do Instituto de Arqueologia da Academia Russa de Ciências, eram amazonas – ou seja, mulheres guerreiras.

Para a conclusão contribuiu o facto de ter sido descoberto junto do esqueleto de uma das mulheres uma espécie de ‘capacete’, um adorno que seria usado por mulheres guerreiras e que se chama calathos. Segundo os investigadores, esta cobertura é a primeira do género a ser descoberta quer numa sepultura de amazonas quer neste local, que corresponde à parte intermédia do rio Don, um dos maiores rios da Rússia. Esta parte do rio e o cemitério em causa, aliás, têm vindo a ser estudados desde 2010, a propósito da  Expedição Arqueológica Don.

Segundo a Smithsonian Magazine a mais jovem das quatro mulheres encontradas no túmulo teria 12 ou 13 anos. Outras duas estariam na casa dos 20 anos quando morreram e a mais velha teria entre 45 a 50 anos. Terá sido na sepultura da mulher mais velha que os investigadores descobriram o calathos.