Internacional

Coligação militar dos EUA anunciou saída do Iraque, mas secretário da Defesa nega

A coligação militar liderada pelos Estados Unidos foi destacada para o Iraque para combater o Estado Islâmico. 

Esta segunda-feira, o exército norte-americano anunciou, numa carta assinada pelo general William H. Seely III, comandante das forças norte-americanas no Iraque, “uma retirada segura e eficaz” daquele país. Contudo, o secretário da Defesa dos Estados Unidos, Mark Esper, garante que "não há nenhuma decisão tomada nesse sentido".

"Senhor, em deferência à soberania da República do Iraque, e como pedido pelo parlamento do Iraque e pelo primeiro-ministro, CJTF-OIR vai reposicionar forças no decurso dos próximos dias e semanas para se preparar para o movimento daqui em diante", lê-se na carta citada pela AFP.

"Respeitamos a decisão soberana que ordena a nossa partida", refere ainda a missiva.

Mark Esper, secretário da Defesa dos EUA garantiu que o anúncio que dava conta da reorganização das forças da coligação antijihadista não corresponde à realidade. Também um comandante norte-americano, em declarações à Sky News,  negou a retirada total das tropas.

Recorde-se que o Parlamento iraquiano aprovou, este domingo, uma moção para exigir que o governo expulse as tropas estrangeiras do Iraque.