Economia

Casas em Portugal atingiram preços recorde em 2019

Índice de preços da plataforma Idealista indica que o metro quadrado ultrapassou, pela primeira, no ano passado a barreira dos dois mil euros. Lisboa continua a ser onde a habitação é mais cara.

O preço médio do metro quadrado das casas em Portugal ultrapassou em 2019 a barreira dos dois mil euros – o que acontece pela primeira vez –, segundo o índice divulgado esta quarta-feira pela plataforma Idealista. Os dados da Idealista acrescentam que o preço médio do metro quadrado subiu 13,3% no ano passado, em relação a 2018.

O preço médio por metro quadrado fixou-se nos 2.028 euros no país, resultando em um aumento em todas as regiões, à exceção do Alentejo (onde o preço médio desceu 0,4%). O destaque vai para a região Norte e para a Área Metropolitana de Lisboa que viram os preços subir 14,7%. Seguem-se, por esta ordem, a Região Autónoma da Madeira (8,1%), o Algarve (7,3%), a Região Autónoma dos Açores (1,9%) e o Centro (1,6%).

A região de Lisboa, com um preço médio de 2.941 euros por metro quadrado continua a ser a região mais cara em Portugal, seguindo-se o Algarve (2.209 euros por m2), o Norte (1.658 euros por m2) e a Madeira (1.556 euros por m2). Do lado oposto da tabela, ou seja, as regiões mais baratas, são os Açores (918 euros por m2), Alentejo (1.017 euros por m2) e Centro (1.045 euros por m2).

Entre 23 distritos analisados, contando com as ilhas da Madeira e dos Açores, a Idealista registou subidas em 20 distritos, com os maiores agravamentos de custo em 2019 a terem lugar no Porto (16%), Setúbal (15,6%), Bragança (12,7%), ilha de Porto Santo (12,4%) e Lisboa (11,5%). No caso de Coimbra, a subida no último ano foi de 8,3%. Por outro lado, os preços das habitações desceram em Portalegre (-18%), Santarém (-3,6%) e Viana do Castelo (-1,5%).

O ranking dos distritos mais caros continua a ser liderado por Lisboa (3.276 euros por m2), sendo que o pódio fica completo com Faro (2.209 euros por m2) e Porto (1.918 euros por m2). Já os preços mais económicos encontram-se em Portalegre (635 euros por m2), Guarda (673 euros por m2) e Castelo Branco (683 euros por m2).

O relatório incide ainda sobre os preços nas capitais de distrito, onde se verificaram aumentos em 17, com Aveiro (22,5%) a liderar a lista. Seguem-se Setúbal (19,9%), Ponta Delgada (13,5%), Braga (13,1%) e Coimbra (11,6%). Em Lisboa e Porto a subida foi de 10,4% e 6%, respetivamente.

Lisboa mantém-se como a capital de distrito onde é mais caro comprar casa, qualquer coisa como 4.607 euros por m2. Porto (2.779 euros por m2) e Faro (1.871 euros por m2) ocupam o segundo e terceiro lugares, respetivamente. Já as cidades capitais de distrito mais económicas são Guarda (684 euros por m2), Castelo Branco (691 euros por m2) e Portalegre (724 euros por m2).