Sociedade

Simão viveu acorrentado e sem qualquer abrigo durante cinco anos. Foi agora resgatado

"Dormiu à chuva e passou os dias ao sol. Nada o protegia. Não tinha comida nem água"

A Associação Ajuda a Alimentar Cães resgatou, no passado dia 9 de janeiro, um cão que durante cinco anos viveu acorrentado e sem-abrigo, na Madeira.

Através do Facebook, a associação partilhou uma publicação em que contou a história de Simão, como foi chamado.

“Durante cinco anos viveu acorrentado e sem abrigo. Dormiu à chuva e passou os dias ao sol. Nada o protegia. Não tinha comida nem água. O chão estava molhado, da parede saia um buraco com o esgoto. Dormia no cimento e em cima da urina dos seus tutores. O cheiro era insuportável. Está magro, tem as orelhas feridas, com sangue e estava cheio de moscas. Tem um ar apático, triste e abatido, é mais do que evidente que sofreu muito. Mesmo assim é um dos cães mais meigos que já conhecemos. Abana a cauda entre as patas. Ninguém, mas ninguém tem noção do horror que este cão viveu até hoje. Sofreu durante anos. Isto é muito cruel e muito triste”, começam por contar.

Simão foi encontrado quando a associação procurava outro cão. “O Simão foi encontrado quando procurávamos outro cão. Foi encontrado sem estarmos à espera. Não tivemos coragem de virar as costas”, revela ainda a publicação, adiantando que o animal está no Hospital Veterinário da Madeira.

Na mesma publicação, a Associação pede ainda ajuda e donativos para os tratamentos de Simão e lembra que este precisa de uma família. “Queremos que ele saiba o que é o conforto de um lar, ter a barriguinha cheia todos os dias e o amor de uma família”, remata.