Sociedade

Urgências do Hospital de Santarém estão sem água quente há sete meses

Auxiliares e enfermeiros da unidade de saúde alertaram para a situação, afirmando que estão “exaustos”, visto terem de utilizar cafeteiras elétricas para aquecer a água.

As urgências do Hospital Distrital de Santarém têm estado sem água quente há sete meses, denunciaram vários auxiliares e enfermeiros da unidade de saúde, afirmando que estão “exaustos”, visto terem de utilizar cafeteiras elétricas para aquecer a água, em declarações à agência Lusa.

Apesar de admitir que as urgências estão realmente sem água quente, o enfermeiro-diretor do HDS João Formiga assegura que a reparação está "agendada" e que se tem atrasado devido às "condições climatéricas". Este afirma ainda que esta falha não afetou nenhum dos "doentes internados ou que tenham recorrido ao serviço de urgência" e que sempre houve acesso a agua quente. 

Além das queixas pela falta de água quente, a agência Lusa refere ainda que várias fontes hospitalares se queixam que "chove" dentro das urgências, “nos corredores, gabinetes e triagem”, tendo que ser colocados baldes para amparar a água. João Formiga afirma que também esta situação têm data para ser resolvida e que “nunca a segurança dos utentes ou dos profissionais foi comprometida devido a isso”.

O enfermeiro-diretor do HDS afirma que faz diariamente uma avaliação ao serviço e que nunca um funcionário relatou “nenhum caso de exaustão, pelo que esta situação não corresponde à realidade”.