Politica

PSD "não pode andar a triturar líderes"

Presidente do PSD vai disputar segunda volta das eleições internas com Luís Montenegro. Atual líder falhou a maioria absoluta por 0,56%.

Rui Rio, que disputa sábado a segunda volta das eleições internas do PSD, depois de ter sido o candidato mais votado na primeira volta, criticou a mudança constante de líderes, considerado que isso só prejudica o partido.

"O PSD não pode mudar de líder como quem muda de camisa, não pode de congresso em congresso andar a trocar de líder, eu sou o 18.º, o PSD é o partido que teve mais líderes. O PSD não pode andar a triturar líderes, se andar os portugueses olham para o PSD e não merece a confiança que deve", afirmou o presidente do partido, em entrevista à Antena 1.

"Se nós, de cada vez que temos um ato eleitoral e não conseguimos ter mais um voto que o adversário, temos automaticamente de trocar de líder, vamos ter dificuldade em criar confiança e sustentabilidade na opinião pública, por isso me recandidato", acrescentou Rui Rio.

O atual líder disse ainda não ter ficado surpreendido com o resultado de sábado, que por ter ficado ficou a 0,56% da maioria absoluta o obriga a ir a uma nova ronda de votos com Luís Montenegro, o segundo candidato mais votado.

"Bate certinho com o que respondia quando as pessoas me perguntavam sobre o resultado: eu acho que consigo ganhar à primeira volta, é difícil, mas é possível", sublinhou.

Sobre esta semana de novo apelo ao voto, Rio avisou que não fará uma “campanha agressiva a atacar os outros". E continuou: "Não é muito do meu estilo, e não vou começar agora a apontar defeitos no adversário para que votem em mim, não é o meu género".