Sociedade

DGS deixa recomendações a portugueses que estão a pensar viajar para a China depois de aparecimento de vírus

Recorde-se que este vírus misterioso já provocou uma vítima mortal, deixou cinquenta pessoas infetadas, entre as quais sete se encontram em estado grave. 

Depois da Organização Mundial de Saúde (OMS) ter informado que o aparecimento de um vírus misterioso na China levou à tomada medidas de prevenção e controlo em todos os hospitais do mundo e que se está a preparar “para a hipótese de contágios em massa”, a  Direção-Geral da Saúde (DGS) decidiu lançar algumas recomendações e cuidados a ter aos portugueses que irão viajar para a China, sobretudo para a cidade de Wuhan, onde o vírus surgiu.

“Evite o contacto próximo com pessoas que sofram de infeções respiratórias agudas”, “lave frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes” e “evite o contacto com animais” recomenda a DGS, através de um comunicado.

Além destes cuidados, a DGS aconselha ainda a população a adotar "medidas de etiqueta respiratória", como "tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir ou lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir".

A instituição alerta ainda os viajantes para caso, durante ou após a viagem, surja algum tipo de sintoma sugestivo de doença respiratória que marquem uma consulta e expliquem ao médico os sintomas e que estiveram na China. 

Na nota, a DGS informa ainda que "está a acompanhar a situação" acrescentando que "o surto continua em investigação" e que os "dados preliminares não revelam evidência de transmissão pessoa-a-pessoa". 

Recorde-se que este vírus misterioso apareceu na segunda semana de dezembro e já provocou uma vítima mortal, deixou cinquenta pessoas infetadas, entre as quais sete se encontram em estado grave.