Economia

Jerónimo Martins aumentou vendas em 7,5% e contabilizou 18,6 mil milhões de euros

Grupo Jerónimo Martins beneficiou do desempenho da marca polaca Biedronka, que faturou 12 621 milhões de euros. Pingo Doce aumento vendas em 2,9% para 3,9 mil milhões de euros.

A Jerónimo Martins contabilizou 18,6 mil milhões de euros em vendas em 2019, o que representa um aumento de 7,5% em comparação com o ano anterior.

Os dados preliminares da empresa, divulgados esta terça-feira, indicam que o crescimento das vendas explica-se, sobretudo, pelo desempenho da Biedronka, marca polaca do grupo, que obteve receitas de 12 621 milhões de euros em 2019, o que significou um crescimento de 7,9% face a 2018 (quando as vendas somaram 11 691 milhões de euros).

A cadeia de lojas de saúde e beleza Hebe também registou um "forte desempenho", com vendas de 259 milhões de euros (uma subida de 25,9% em comparação com o anterior).

Em Portugal, o Pingo Doce aumentou as vendas em 2,9% para 3,9 mil milhões de euros. Em comunicado, a Jerónimo Martins refere que “o Pingo Doce manteve a boa dinâmica comercial e registou um desempenho positivo no ano, para o qual contribuíram também a inovação na oferta e as melhorias introduzidas na experiência de compra”.

A Ara, na Colômbia, foi a marca com chancela Jerónimo Martins com melhor rendimento percentual, crescendo no que diz respeito a vendas 30,8% para os 784 milhões de euros.