Politica

Joacine garante que "ainda" não fez nada para que confiança política lhe seja retirada

"Não houve falha nenhuma no cumprimento dos ideais e do programa do partido, isso é facilmente comprovável", garantiu.

Joacine Katar Moreira fez as primeiras declarações no Congresso do Livre, que teve início na manhã deste sábado. Antes da discussão da resolução da Assembleia do partido que pede a sua remoção da confiança política, a deputada afirmou que o relatório feria a sua honra e dignidade.

"Cabe-me informar imediatamente que este relatório fere a minha honra, fere a minha dignidade, está cheio de inverdades e de algumas mentiras e manipulação", afirmou, no IX Congresso do Livre.

Em frente aos militantes do partido, a deputada defendeu que “teoricamente”, esta situação não ia ao encontro daquela é a cultura do partido Livre. Durante a manhã, falou em “ruído”, “ódio”, “desinformação” e “manipulação” e pediu aos militantes que façam as suas opções “com consciência” porque a sua está “tranquilíssima”. "Não houve falha nenhuma no cumprimento dos ideais e do programa do partido, isso é facilmente comprovável", garantiu.

Após a leitura dos pontos que fazem parte do documento, Joacine acusou o partido de mentir e de a perseguir. "Isto que acabou de ser feito aqui é inadmissível. Isto é mentira, mentira absoluta. Como é que ousam fazer isto? Dizer que eu não ouvi as pessoas, que eu não fui leal ao partido. Isto é uma perseguição absoluta", afirmou.

Garantindo que “ainda” não fez nada de errado, mostrou-se disponível para defender “ponto a ponto” cada elemento da resolução e acusou o partido de usar “o ódio” de que diz ter vindo a ser alvo para a “tentar afastar”. "Eu não vou renunciar, para que as pessoas que votaram em mim não se sintam defraudadas", garantiu.