Internacional

Dono do terreno onde morreu Julen condenado a um ano de prisão

Pais e acusado chegaram ontem a acordo.


O proprietário da quinta onde Julen, de 2 anos, morreu ao cair num poço, perto de Málaga em Espanha, foi esta terça-feira condenado a um ano de prisão, depois de se ter declarado culpado de morte por negligência grave e de ter chegado a acordo com os pais da criança.

Na audiência no tribunal, David Serrano reconheceu os factos e a sua responsabilidade, pedindo também desculpas e garantindo que nunca quis "que acontecesse algo com a criança".

O juiz determinou ainda, baseado no acordo entre as duas partes, que David Serrano terá de pagar uma indemnização aos pais de Julen no valor de 180 mil euros.

A junta de Andaluzia também deverá ser ressarcida pelas despesas no resgate da criança, que se prolongaram por quase duas semanas e ultrapassaram os 660 mil euros.