Sociedade

Sindicato da PSP insinua que mulher agredida por agente pode ter "doenças graves"

Através de uma publicação, o sindicato mostrou ainda como o agente da PSP ficou depois da situação.

O Sindicato Unificado da Polícia de Segurança Pública partilhou fotografias do polícia que deteve uma cidadã, depois de esta não ter pagado o passe. A polémica instalou-se quando surgiram fotografias de Cláudia Simões tiradas após ter sido, alegadamente, agredida pelo agente da PSP, que também se queixou de agressões, nomeadamente de ter sido mordido.

Na publicação, o sindicato deseja as melhoras ao agente da PSP, manifestando os desejos de que “as análises sejam todas negativas a doenças graves”

 “Foi neste estado em que ficou hoje o colega, ao intervir numa ocorrência na Amadora. As melhoras ao colega e espero que as análises sejam todas negativas a doenças graves. Contudo, a defesa da cidadã está a começar a ser orquestrada pelo ódiomor de brancos. Está tudo bem, não se passa nada”, pode ler-se na publicação, partilhada na segunda-feira.

A partilha foi feita através da página de Facebook do sindicato, onde as imagens mostram como as mãos e os braços do polícia em questão ficaram, depois de a mulher ter, alegadamente, mordido e agredido o agente.