Sociedade

Deco alerta para incensos que podem provocar cancro e pede que sejam retirados do mercado

Segundo a Deco, “um pau de incenso, apenas, pode libertar tanto benzeno como cinco cigarros”.

A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (DECO) alertou, esta quarta-feira, para o risco de uso dos incensos, realçando que contêm substâncias tão nocivas como um cigarro e, por isso, devem ser retirados do mercado.

“Acender um pau de incenso para relaxar e difundir um agradável odor pela casa? Talvez não seja boa ideia. O fumo liberta uma série de substâncias nocivas, que nada têm de ‘natural’ ou ‘purificante’, nem tão-pouco trazem ‘energia positiva’: apenas contribuem para degradar o ar do espaço interior, já de si nem sempre recomendável”, começa por referir a entidade, num comunicado.

A Deco refere que em laboratório foi detetado acetaldeído, acetona, acroleína, benzeno, etilbenzeno, formaldeído, monóxido de carbono, naftaleno, bem como outros compostos orgânicos voláteis – todas estas substâncias estavam presentes em apenas “seis amostras de incenso”. A associação realça ainda que todas as substâncias detetadas são “irritantes para os olhos, o nariz e as vias respiratórias. Algumas comprovadamente cancerígenas, outras com essa suspeita associada”.

“Os resultados vêm confirmar as conclusões do nosso último estudo, publicado em outubro de 2013, mostrando que, em quase sete anos, nada foi feito para controlar a segurança destes produtos. Mas não estamos sozinhos. Em 2017, a agência francesa do Ambiente e Gestão da Energia chegou a conclusões idênticas. Escrevemos, por isso, à Direção-Geral da Saúde e à Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, a exigir que sejam retirados do mercado. Já as sete velas testadas emitem poucas ou nenhumas destas substâncias, pelo que podem ser consideradas seguras”, lê-se na mesma nota.

Os produtos testados foram comprados nas seguintes lojas: Satya Sai Baba Nag Champa Cônes d’Encens (2,25 euros);Satya Sai Baba Nag Champa Agarbatti Incense Sticks (2,25 euros); Zara Home Encens (3,99 euros); Eurescents Sensations (4,90 euros); Green Tree 7 Chakras (1,95 euros); Casa Escape Black Oudh (3,99 euros).

Segundo a Deco, “um pau de incenso, apenas, pode libertar tanto benzeno como cinco cigarros”.

“Verificámos em laboratório que, quando queimados, os incensos libertam poluentes cancerígenos, como o benzeno e o formaldeído, além de substâncias muito irritantes, caso da acroleína. Um pau de incenso, apenas, pode libertar tanto benzeno como cinco cigarros. Não admira que os utilizadores intensivos deste tipo de incenso corram risco aumentado de cancro a longo prazo. Apesar de prometer um ambiente zen, polui fortemente o ar interior e, a ser usado, pelo menos, deve ser aberta uma janela”, recomenda a associação.

As velas testadas pela Deco libertam algumas destas substâncias, mas as concentrações são muito inferiores, podendo ser consideradas seguras. Ainda assim, devem ser seguidas precauções, como o arejamento do local de utilização e a restrição do número de horas de exposição. Em causa estão as seguintes velas: Yankee Candle (13 euros); Airwick Anti-tabaco (3,50 euros); Kasa Vermelho (1,95 euros); A Loja do Gato Preto Vela Verde (2,95 euros); Arte Regal Vela Antiolor Ref. 28395 (2,49 euros);Glade Relaxing Zen (3,99 euros); Casa Wood Rustic (1,79 euros).