Sociedade

AR recebe petição para proibir uso de perfumes em transportes e locais públicos

Peticionário alega que perfumes “fazem muito mais mal” do que fumar, sendo que este ato é proibido nos transportes.

Um cidadão decidiu endereçar um pedido insólito aos partidos com assento na Assembleia da República. O cidadão Mário Gonçalves Marques dos Reis quer que os deputados “legislem de forma a proibir o uso de perfumes em transportes públicos e locais públicos”.

A petição, apresentada na forma de uma folha de papel A4 escrita à mão e com uma impressão digital em vez da assinatura, para a qual o jornal Público foi primeiro a chamar a atenção, dá conta de dez razões para justificar a proibição do uso de perfumes.

“1ª - Fumar nos transportes públicos e nos locais públicos é proibido; 2ª - Porque o fumo faz mal às vias respiratórias; 3.º -Mas os químicos contidos nos perfumes fazem muito mais mal, detergentes, químicos; 4ª - Como o amoníaco, 5ª - Poluem o ar e tornam impossível qualquer um viajar nos transportes públicos ou aguardar nos locais públicos; 6ª - Eu, por exemplo, começo a tossir e a asfixiar; 7ª - Nem com máscara ou lenço ou outro utensílio deixo de tossir; 8ª - Tendo em conta que centenas de milhares de pessoas em Portugal têm problemas respiratórios, asma, alergias, bronquites e outras; 9ª - Requeiro que apliquem a mesma lei do tabaco aos perfumes, aos detergentes, aos químicos, nos mesmos locais; 10ª - Proibindo o seu uso.”, enuncia Mário Reis, até agora o único peticionário.

De momento a petição deu entrada nos serviços da Assembleia da República, mas “aguarda deliberação sobre a sua admissibilidade”.