Sociedade

Registos da PSP referem que motorista agredido foi o que denunciou Cláudia Simões

O SOL sabe que um dos relatórios internos da PSP, que dá conta da ocorrência, refere que o motorista é o mesmo envolvido no mediático caso do passado domingo. O resultado da primeira avaliação médica foi também registado internamente pela PSP e ao que o SOL apurou foi-lhe diagnosticado o maxilar inferior partido, o nariz fraturado, hematoma nos olhos e cortes e hematomas na testa.

O motorista da Vimeca agredido, esta sexta-feira à noite, em Massamá, no concelho de Sintra, será o o mesmo que no último domingo denunciou a passageira Cláudia Simões, que alega ter sido espancada por um agente da Polícia de Segurança Pública (PSP). O SOL sabe que um dos relatórios internos da PSP, que dá conta da ocorrência, refere que o motorista é o mesmo envolvido no mediático caso do passado domingo.

Ao que o SOL apurou, o relatório da ocorrência refere que o motorista foi agredido por desconhecidos depois de parar junto de um café, onde tinha ido comprar algo para comer, na Avenida 25 de Abril, em Massámá. O homem foi agredido com violência no regresso ao autocarro.

Como o SOL já tinha avançado este sábado, fonte da PSP disse que tudo indica que se tratou de um ato de retaliação pelo caso de Cláudia Simões. Recorde-se que a mulher foi detida numa paragem de autocarro, na Amadora, depois de um desentendimento com o motorista, supostamente porque a filha não transportava o passe.

O motorista continua internado no Hospital de S. Francisco Xavier, em Lisboa. O resultado da primeira avaliação médica foi registado internamente pela PSP e ao que o SOL apurou foi-lhe diagnosticado o maxilar inferior partido, o nariz fraturado, hematoma nos olhos e cortes e hematomas na testa.