Internacional

Enfermeira chinesa diz que há 90 mil infetados e acusa autoridades de estarem a mentir

Em 2002, Governo chinês ocultou da população a existência da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS).

Uma enfermeira chinesa partilhou um vídeo nas redes sociais no qual acusa as autoridades do seu país de estar a encobrir o impacto real do novo coronavírus, alegando que o número de infetados é muito superior ao que tem sido apresentado.

No vídeo, a mulher, que surge com máscara e fato de proteção, revela que já há 90 mil pessoas infetadas com 2019-nCoV, na China, um número muito superior ao divulgado oficialmente pelas autoridades, atualizado esta segunda-feira para 2.744. O número de vítimas mortais subiu para 81.

"Estou na área onde o coronavírus começou. Estou aqui para dizer a verdade. Neste momento, na província de Hubei, incluindo a área de Wuhan, 90 mil pessoas foram infetadas pelo coronavírus", disse a enfermeira, cuja identidade não foi divulgada.

Várias partes do vídeo foram sendo divulgadas por cidadãos chineses, mas acabaram por ser eliminados.

Recorde-se que estas acusações de encobrimento ganham especial relevância, depois de se ter sabido que em 2002, o Governo chinês ocultou durante algum tempo, a existência da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) à própria população.