Politica

Moedas de 1 e 2 cêntimos podem ter os dias contados

Das 126 mil milhões de moedas de euro em circulação, quase metade (48%) são de um ou dois cêntimos. A medida, que vai ser apresentada, esta quarta-feira, tem gerado controvérsia entre os eurodeputados.

Nos próximos cinco anos, as moedas de 1 e 2 cêntimos podem desaparecer, passando assim a moeda de 5 cêntimos a ser a de valor mais baixo. Segundo o jornal Süddeutsche Zeitung, a medida, incluída no programa da Comissão Europeia, vai ser apresentada, esta quarta-feira, pela presidente, Ursula Von der Leyen.

O objetivo desta retirada passa por reduzir a burocracia e poupar no fabrico de moedas, segundo a publicação alemã, que explica que a eliminação destas moedas também vai permitir poupar o esforço envolvido na contagem e transporte das moedas.

A medida pode no entanto, ser controversa, já que, segundo a Süddeutsche Zeitung, há quem aponte que este é o início de um plano para acabar com o dinheiro físico. O eurodeputado alemão Markus Ferber (União Social Cristã) já afirmou que “o que a Comissão está a planear sob o nome de ‘regras de arredondamento uniforme’ deve fazer soar os alarmes”.

Segundo uma estimativa elaborada, em 2013, Bruxelas poderá poupar 1,4 mil milhões de euros com esta redução. Das 126 mil milhões de moedas de euro em circulação, quase metade (48%) são de um ou dois cêntimos.