Opiniao

Angola só tinha uma bilionária! Isabel dos Santos...

Há uns meses a Justiça angolana não quis que a Justiça portuguesa julgasse o vice-Presidente...

A intenção de se fazer um Museu dos Descobrimentos em Lisboa esbarrou na gritaria dos politicamente corretos que agitaram a bandeira do colonialismo. Defendiam, sim, que se fizesse um Museu da Escravatura para mostrar ao mundo o mal que os portugueses fizeram por esse planeta fora. Nunca lhes interessou que nesse Museu dos Descobrimentos existisse, obviamente, um setor alusivo à escravatura.

Vem esta conversa a propósito do famoso caso Luanda Leaks, em que um consórcio de 120 jornalistas – à semelhança de Rui Pinto e seu Football Leaks – teve acesso a mais de 700 mil documentos da empresária angolana. O hacker português está preso e a ser julgado, calculo que se tivesse tido acesso aos documentos do consórcio dos jornalistas estaria na calha para ganhar o Pulitzer em vez de estar detido. Certo é que o Luanda Leaks, como o Football Leaks, não são a prova cabal que alguém cometeu um crime. Cabe aos tribunais decidirem, depois de investigarem, se a personagem pirateada cometeu ou não crimes. Foi pois com grande estranheza que vi ontem Catarina Martins, líder do BE, a defender que Isabel dos Santos não pode vender a participação que tem em empresas portuguesas. «Esse dinheiro foi roubado ao povo angolano», disse a sempre incansável Catarina Martins. Será que a ilustre deputada não sabe que Angola é um país independente desde 1975? Não sabe que esses tiques neocolonialistas não lhe ficam bem? Mas quer que a Justiça portuguesa se sobreponha à angolana? Muito estranho a nervoseira que vai por aí...

Curiosamente, o procurador geral da República de Angola veio ontem a Portugal, tendo-se reunido com a sua congénere portuguesa. Nas várias entrevistas que deu, falou que espera ajuda das autoridades portuguesas em muitas matérias. Oiço e fico perplexo. Não foi há uns meses que as autoridades angolanas disseram que os portugueses não tinham competência para julgar um cidadão angolano? Falamos do então antigo vice-Presidente Manuel Vicente. Já se percebeu que há uma grande desorientação e que a Justiça angolana quer à força condenar Isabel dos Santos na praça pública. E os outros? Será que a filha do antigo Presidente José Eduardo dos Santos é a única bilionária angolana? Ok, isso é com as autoridades angolanas.

E Portugal? Vai fazer com todos os detentores de vistos gold, com os empresários estrangeiros que têm negócios em Portugal a mesma coisa que se fala que está a fazer com Isabel dos Santos? Vai querer saber a origem desse dinheiro? É que há países que têm investido fortemente em Portugal e que gozam de uma espécie de imunidade diplomática. O melhor mesmo é mandarem fiscais para a Avenida da Liberdade e perguntar aos clientes das lojas de luxo de onde vem o dinheiro com que querem desenvolver a economia portuguesa.

Certo é que Isabel dos Santos vai sair do capital das empresas portuguesas e esperamos que o futuro de algumas dessas, como a Efacec, não seja o fecho e o consequente desemprego de milhares de pessoas. Se no mundo os negócios fossem todos transparentes, há muito que a economia mundial estava paralisada. É triste, mas é a verdade.
Se a moral conduzisse os negócios mundiais, Portugal não teria nenhum negócio com países onde a democracia ainda está a séculos de entrar, em nações cuja democracia musculada dita leis ou em que as ditaduras são uma realidade. Querem nomes? Arábia Saudita, China, Venezuela... 

vitor.rainho@sol.pt