Internacional

Vítima beija durante julgamento namorado que a tentou matar com cinco tiros

O Ministério Público brasileiro condenou a situação e disse que esta vai contra “todo o trabalho que é feito contra a violência doméstica na região”.

Durante um julgamento por tentativa de homicídio, em Rio Grande do Sul, no Brasil, a vítima, uma mulher de 25 anos, beijou o réu, o ex-namorado, que a alvejou cinco vezes.

O momento ocorreu esta terça-feira. Micheli Schlosser defendeu o agressor, Lisandro Posselt, durante toda a audiência. A mulher disse que a culpa de ter sido alvejada tinha sido sua e defendeu que o homem já tinha pagado “pelo erro”.

“Ele nunca me tinha agredido, sempre foi muito bom para mim e já pagou pelo seu erro”, disse a vítima, citada pelo jornal Folha do Mate.

Foi então que Micheli pediu ao juiz autorização para abraçar e beijar o arguido. Mesmo com o pedido negado, a mulher dirigiu-se ao homem e beijou-o.

O caso remonta a setembro de 2019. O homem foi acusado de disparar cinco tiros contra a namorada, após uma saída noturna.

Durante o julgamento, Lisandro Posselt pediu uma nova oportunidade e disse que não queria voltar para a Penitenciária Estadual de Venâncio Aires, à qual se referiu como um “inferno”. A defesa do arguido alegou ainda que a vítima é a mais interessada no julgamento e já perdoou o réu. 

A mulher diz agora pretende casar com o homem e construir uma casa.

“Queremos construir uma casa de três andares e abrir um negócio, uma loja de roupas ou uma padaria. Sempre sonhámos com isso”, contou.

O Ministério Público brasileiro condenou a situação e disse que esta vai contra “todo o trabalho que é feito contra a violência doméstica na região”.

O homem foi condenado a sete anos de prisão em regime semiaberto, uma medida do sistema prisional brasileiro para voltar a reinserir o indivíduo na sociedade. O recluso pode sair para estudar ou trabalhar e retornar à prisão no final do dia.