Politica

Governo vai dar até 4800 euros a quem se mude para o interior

A única obrigação é ter um contrato de trabalho na região.

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, apresentou, esta segunda-feira, uma proposta de incentivo para estudantes e trabalhadores que se mudem para o interior do país. Antecipando-se à apresentação do programa “Trabalhar no Interior”, Ana Mendes Godinho explicou, em declrações à TSF. que quem se decidir mudar para as regiões do interior de Portugal irá receber uma ajuda monetária que vai desde os 2600 até aos 4800 euros. A única obrigação é ter um contrato de trabalho na região.

O apoio será dado inicialmente pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP). "A linha vai ser aberta durante o 1.º trimestre de 2020, estará aberta em contínuo para quem se queira candidatar, e o pressuposto é precisamente esse: celebrar um novo contrato de trabalho no interior", esclareceu a ministra. 

Segundo Ana Mendes Godinho, o valor da ajuda monetária irá depender das despesas apresentadas pelo cidadão, como despesas de instalação, transporte e como o número de membros do agregado familiar. 

Está ainda previsto no programa a iniciação de um apoio financeiro às empresas - como por exemplo a majoração de 25% no apoio à criação de empresas para a contratação de desempregados - com o intuito de criar uma bolsa de empregos exclusivamente para o interior. O apoio monetário poderá ir até aos 6500 euros por trabalhador. 

Além de empregos, a ministra afirma que os estágios que ocorram no interior e as pessoas que adiram ao programa Regressar para voltar a Portugal, também irão receber apoios se decidirem mudar-se para o interior.