Internacional

Assediou aluna durante anos para ter relações sexuais

Privett é caracterizado como um “predador” que preparou a aluna ao longo dos anos para o seu objetivo. 

Um professor reformado foi detido, esta sexta-feira, suspeito de ter relações sexuais com uma estudante de 17 anos, em várias ocasiões, em 2016, no Estado norte-americano da Flórida.

Tom Privett, de 70 anos, foi professor de História e passou grande parte da sua carreira entre duas escolas secundárias. Segundo a acusação, citada pela imprensa norte-americana, Privett é caracterizado como um “predador” que preparou a aluna ao longo dos anos para o seu objetivo. O agressor conheceu a vítima nas suas aulas e começou a tocar-lhe inadequadamente enquanto a jovem lamentava uma morte na sua família.

O homem começou por lhe esfregar os braços e as costas e passou a beijá-la – primeiro na cabeça, depois nas bochechas e nos lábios.

De acordo com o jornal Herald, um ano depois dos primeiros abusos, o professor terá começado a fazer comentários “cruéis” sobre o peso da vítima, na sequência esta terá desenvolvido um distúrbio alimentar.

Mais tarde, durante o 11.º ano da vítima, as interações tornaram-se sexuais. O homem começou a contar à aluna os seus fetiches e preferências sexuais e em 2016, numa sala de aula, terá tido relações sexuais com a jovem, que era virgem.

De acordo com a polícia, a partir daí, o professor teve relações sexuais com a jovem, todos os dias depois das aulas, durante três meses até ao final das aulas.

O homem encontra-se detido preventivamente, sem fiança.