Economia

Smart Cities. Municípios avançam com 30 propostas para tornar cidades mais inteligentes

Sistemas traduzem-se em poupanças no desperdício de água, na iluminação das vias públicas e recolha de resíduos sólidos.

 O Smart Cities Tour 2020 arrancou ontem com a apresentação de 30 propostas com o objetivo de tornar as cidades portuguesas mais inteligentes. O documento reúne as contribuições dos municípios portugueses e define as prioridades e os eixos de atuação que os autarcas querem ver debatidos com o Governo no âmbito do novo Quadro Financeiro Plurianual Portugal 2030. 

Para António Almeida Henriques, presidente da secção de municípios cidades inteligentes, da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), “2020 é o momento certo para debater a programação do novo quadro de financiamento europeu e apoiar a conceção de novas soluções para o necessário investimento dos municípios no desenvolvimento de cidades e vilas inteligentes e sustentáveis. Vamos propor ao Governo a criação de uma estratégia nacional de transformação digital do território, a estratégia Autarquias 4.0, porque consideramos ser uma condição essencial para o seu desenvolvimento e coesão. Ninguém se fixa no interior sem acesso a internet e GSM, por mais incentivos que se anunciem.”

A sustentabilidade e eficiência das cidades têm também implicação na poupança de recursos. De acordo com projeções da IDC, a implementação de sistemas inteligentes nos seus vários eixos permite, por exemplo, uma poupança de 40% no desperdício de água; 50% nos custos com a iluminação das vias pública e de 40 a 80% na fatura com a coleta de resíduos sólidos urbanos. 

Para Alexandre Fonseca “com esta parceria, a Altice Portugal pretende, uma vez mais, promover o debate e a proposta de medidas concretas sobre os novos desafios das cidades. Mobilidade, smart tourism, inovação inteligente são exemplos de alguns dos temas que estarão em discussão e que mostram como através da inovação e soluções tecnológicas vamos tornar as nossas cidades mais inteligentes, mais eficientes, mais seguras e mais limpas".

Já para João Torres, presidente do conselho de administração da EDP Distribuição, este projeto mostra o empenho da empresa na modernização da rede elétrica: “Reflexo dessa aposta é a infraestrutura digital já instalada de 7 mil pontos de telecomando, 20 mil postos de transformação monitorizados, 2,6 milhões de equipamentos de medição inteligente e 100% de iluminação pública supervisionada remotamente”, acrescentando que “o apoio a iniciativas como a da Smart Cities Tour 2020 é relevante porque traça o caminho na descarbonização da economia focada nos cidadãos e potencia a gestão das cidades como um sistema integrado.”

Pelo terceiro ano consecutivo, também os CTT voltam a apoiar esta iniciativa. “Esta parceria permite-nos reforçar a proximidade com os stakeholders, fortalecendo as relações entre as duas partes e é também relevante na medida em que a criação de ambientes interativos, permitem a aproximação a mercados e públicos-alvo específicos, potenciado desta forma a diferenciação do Grupo CTT”, refere João Sousa, administrador executivo da empresa.

Recorde-se que, o Smart Cities Tour é um projeto desenvolvido pela ANMP e a NOVA Cidade – Urban Analytics Lab, da NOVA Information Management School, em parceria com a Altice Portugal, CTT, EDP Distribuição e Deloitte. E vai contar com workshops temáticos realizados em cinco cidades portuguesas – Valongo, Évora, Covilhã, Monchique e Oeiras – terminando em Coimbra, com a Cimeira dos Autarcas, em novembro. A ideia é simples: promover a partilha de boas práticas entre os diferentes concelhos, a apresentação de soluções inovadoras no plano das cidades inteligentes, dando ainda a conhecer vários projetos concretos que estão a ser desenvolvidos por todo o país”.