Politica

OE2020. Carlos César diz que decisão sobre o IVA da eletricidade pode levar à demissão do Governo

A proposta do PSD prevê o adiamento da nova taxa de IVA para a eletricidade para 1 de outubro e uma perda de receitas estimada em 98 milhões de euros, compensada por cortes nos gabinetes ministeriais um ajustamento ao saldo orçamental. 

O presidente do PS, Carlos César, disse, esta quarta-feira, que caso a proposta do PSD para a descida do IVA na eletricidade seja aprovada, o Governo irá ficar numa situação complicada que poderá originar a demissão do Executivo de António Costa. 

A proposta do PSD prevê o adiamento da nova taxa de IVA para a eletricidade para 1 de outubro e uma redução da luz de 23% para 6% no consumo doméstico, o que terá um impacto de 376 milhões de euros no IVA. Já a proposta do Governo irá ter um impacto de 800 milhões de euros.

"Se essa solução for aprovada, acho que o Orçamento do Estado ficará desvirtuado e muito dificilmente exequível para manter o equilíbrio inicialmente proposto, pelo que será necessário ponderar seriamente o que fazer”, afirmou Carlos César, em declarações ao jornal Público.

O BE já mostrou apoiar a proposta do PSD. O PCP anunciou, esta quarta-feira, que iriam abster-se à proposta. António Costa afirmou esperar que o “bom senso prevaleça para não pôr em causa o Orçamento do Estado”.