Sociedade

Tribunal absolve suspeitos de matar mulher cuja cabeça foi encontrada numa praia em Leça de Palmeira

Tribunal de Matosinhos considerou que havia demasiadas dúvidas sobre o crime.

As duas pessoas acusadas do homicídio e esquartejamento de uma mulher tailandesa, cuja cabeça foi encontrada numa praia em Leça de Palmeira, foram, esta quinta-feira, absolvidos pelo Tribunal de Matosinhos.

Segundo o Jornal de Notícias, durante a leitura da sentença, o tribunal considerou que era impossível apurar quem tinha matado a mulher. Assim, vingou a presunção de inocência dos arguidos – um homem paquistanês e uma mulher tailandesa que exploravam uma casa de massagens, onde a vítima trabalhava.

O julgamento tinha começado no passado dia 7 de janeiro.

O Ministério Público (MP) acusa os arguidos pelo homicídio e profanação de cadáver da mulher. A acusação referia que entre 28 de dezembro de 2018 e 07 de março de 2017,  "o arguido e a arguida mataram a dita colaboradora tailandesa, após o que cortaram o cadáver aos pedaços, decapitaram-no e colocaram no congelador pelo menos a cabeça", na casa de massagens que ambos exploravam em Matosinhos "sob forma de uma sociedade unipessoal de que era única sócia a arguida, contando com a colaboração da vítima", que era massagista.

Depois do homicídio, os alegados autores do crime"desfizeram-se dos pedaços de cadáver, deixando a cabeça acondicionada num saco plástico, dentro ou ao lado de um contentor colocado no areal da praia de Leça da Palmeira”.

Recorde-se que cerca de um mês depois de a cabeça da vítima ter sido encontrada, a 7 de março, a PJ deteve a massagista, de 52 anos, que ficou em prisão preventiva. Em agosto foi detido, na fronteira da Turquia com a Grécia, o homem, que se havia ausentado de Portugal assim que foi noticiado o aparecimento da cabeça.

Na origem do crime está uma alegada dívida da arguida à vítima de 10 mil euros.