Economia

Elsa e Fabien custaram 42 milhões de euros às seguradoras

Associação Portuguesa de Seguradores apresentou o balanço final do valor a pagar na sequência das depressões que atingiram Portugal dezembro, provocando três mortos e 144 desalojados.

As tempestades Elsa e Fabien, que afetaram a Península Ibérica em dezembro do ano passado, custaram 42 milhões de euros às seguradoras portuguesas. Segundo a Proteção Civil, as depressões causaram dezenas de milhares de ocorrências, e provocaram três mortes e 144 desalojados.

A ue(APS) apresentou agora o balanço final do apuramento dos danos cobertos por contratos de seguro, indicando os valores dos seguros que já foram acionados ou que as companhias acreditam que terão de ainda vir a cobrir.

As informações mais recentes do inquérito promovido pela APS, junto das empresas de seguros suas associadas, revelam o registo de quase 22700 sinistros cobertos por apólices de seguros, a que corresponde um valor agregado de danos (valores pagos e provisionados) de 42 milhões de euros.

Este valor é superior ao apurado a16 de janeiro de 2020, que registou quase 17000 sinistros e um valor agregado de danos (pagos e provisionados) de 34 milhões de euros.