Internacional

Casal mata filho adotivo de 11 anos para receber seguro de vida

Arti Dhir e Kaval Raijada iriam receber cerca de 177 mil euros.

Um casal britânico está a ser acusado de planear o homicídio do filho adotivo para receber o seu seguro de vida no valor de cerca de 177 mil euros.

Segundo a publicação The Sun, em 2015, Arti Dhir e Kaval Raijada, colocaram um anúncio num jornal indiano, onde mostravam interesse em adotar uma criança, a quem queria dar uma vida melhor e levar para o Reino Unido. À medida que o processo de adoção de Gopal Sejani, de 11 anos, avançava, a mulher de 50 anos fez um seguro de vida onde, em caso da morte da criança, seria a única beneficiária.

Quando o processo de adoção já estava quase a terminar, sendo já os tutores legais da criança e faltando apenas tratar das questões de imigração, para que a criança pudesse viver no Reino Unido, Gopal Sejani foi atacado, numa estrada de terra, por dois homens que viajavam de mota.

Em fevereiro de 2017, a criança foi sequestrada e esfaqueada na presença do cunhado, com quem vivia, que foi encontrado inconsciente. O menino ainda foi transferido para um hospital mas acabou por morrer devido aos ferimentos.

As autoridades indianas garantiram que a criança já tinha sido alvo de duas tentativas de homicídio, tendo o homem contratado para matar Gopal Sejani confessado que anteriormente tinha falhado. Para além deste, outros três homens estão detidos por suspeitas de terem ajudado o casal.

As autoridades indianas querem, no entanto, que o casal, que está no Reino Unido, seja julgado de acordo com a justiça indiana, onde a condenação poderá ser pena perpétua.