Internacional

Coronavírus pode sobreviver até nove dias em maçanetas e corrimãos

O estudo foi realizado pelas universidades alemãs e Ruhr Bochum e Greifswald, divulgado no Journal of Hospital Infection.  

O novo coronavírus, que surgiu na cidade de Wuhan e já provocou a morte de mais de mil pessoas e deixou 40 mil infetados por todo o mundo pode sobreviver durante nove dias em maçanetas e corrimãos, segundo um estudo realizado pela universidades alemã Greifswald, divulgado no Journal of Hospital Infection.  

Caso as superfícies não sejam desinfetadas - com produtos à base álcool ou lixívia - o novo coronavírus pode permanecer nas maçanetas e nas portas e em superfícies como plástico, vidro, metal e madeira, entre duas horas e nove dias. 

Ainda segundo as conclusões do estudo alemão, o vírus sobrevive mais facilmente em superfícies frias.