Internacional

Guaidó já aterrou em Caracas e foi agredido

Juan Guaidó chegou ao Aeroporto Internacional Simón Bolívar de Maiquetía a bordo de um voo da transportadora TAP, e foi agredido à chegada por simpatizantes do regime.

O líder da oposição venezuelana e autoproclamado Presidente, Juan Guaidó, já aterrou, esta terça-feira, em Caracas, na Venezuela.

“Venezuela: já estamos em Caracas. Trago o compromisso do mundo livre, disposto a ajudar-nos a recuperar a democracia e a liberdade. Começa um novo momento que não admite contratempos e que exige que todos façamos o que temos que fazer”, refere uma publicação de Guaidó no Twitter.

“A todas as forças políticas, a todos os setores da vida civil, a toda a família militar: a ditadura nunca esteve tão sozinha. Portanto, hoje mais do que nunca, será necessária unidade, confiança e disciplina política. Atento a novos anúncios. Estamos de volta”, acrescenta.

Juan Guaidó chegou ao Aeroporto Internacional Simón Bolívar de Maiquetía a bordo de um voo da transportadora TAP, e foi agredido à chegada por simpatizantes do regime.

O autoproclamado Presidente da Venezuela, reconhecido como líder legítimo do país por mais de 50 nações, não sabe o futuro que lhe espera. O seu círculo próximo diz que Guaidó pode enfrentar as consequências das autoridades venezuelanas por ter violado a proibição de sair da Venezuela, imposta o ano passado.

Desde de 2019 que Guaidó é o principal rosto da tentativa de levar a cabo um golpe de Estado para retirar Nicolás Maduro do poder. É a segunda vez, desde o ano passado, que realiza um périplo para angariar apoio de parte da comunidade internacional: passou pelo Canadá, esteve em vários países europeus e até esteve presente no discurso do Estado da União, na Câmara dos Representantes, nos Estados Unidos.