Sociedade

SEF deteta empresas fantasma no Algarve e técnico de contas é constituído arguido

SEF adiantou em comunicado que empresas serviam de fachada para a simulação de relações laborais, em Faro.

Várias "empresas fantasma" foram detetadas pelo SEF e um técnico oficial de contas foi constituído arguido, por suspeitas da prática dos crimes de auxílio à imigração ilegal e falsificação de documentos, na sequência de uma operação que decorreu em Faro.

Em comunicado, o SEF adianta que estas empresas serviam apenas de fachada para "a simulação de relações laborais com cidadãos oriundos do sudeste asiático e da América do Sul".

No total, foram cumpridos quatro mandados de busca, numa residência, num escritório e em duas viaturas. Foi apreendida uma prova documental, uma arma branca, munições e ainda uma quantia assinalável de dinheiro.

A operação teve origem em "pedidos de vistos consulares na embaixada de Portugal em Nova Deli que se revelaram suspeitos", pode ler-se no comunicado divulgado.

A investigação está a decorrer sob coordenação do Ministério Público de Albufeira.