Sociedade

Rosa Grilo contratou empresa para fazer buscas em casa e foi encontrado um segundo projétil

Nas perícias feitas inicialmente à casa após o crime, a Polícia Judiciária (PJ) não encontrou nenhum projétil. 

Foi encontrado um segundo projétil na residência de Rosa e Luís Grilo, o triatleta assassinado no verão de 2018. Segundo a notícia avançada pela TVI, a defesa da viúva do triatleta contratou uma empresa de consultadoria forense, que encontrou, esta sexta-feira, um novo projétil numa das casas de banho da habitação onde o casal vivia.

Recorde-se que o Ministério Público alega que Luís Grilo foi morto com um único projétil, no quarto. Enquanto a defesa de Rosa Grilo, acusada do homicídio do marido, alega que foram disparados dois tiros por angolanos, num negócio de diamantes.

Na sequência da descoberta, a GNR deslocou-se à residência, na localidade de Cachoeiras, em Vila Franca de Xira. Segundo a estação televisiva, a força de segurança tem o projétil na sua posse.

Nas perícias feitas inicialmente à casa após o crime, a Polícia Judiciária (PJ) não encontrou nenhum projétil. 

Recorde-se que a sentença de Rosa Grilo foi novamente adiada esta quinta-feira pelo Tribunal de Loures. O adiamento deve-se à audição de duas testemunhas, um pedido da arguida feito depois de o tribunal ter comunicado uma alteração não substancial dos factos. As testemunhas serão ouvidas no dia 18 de fevereiro, mas a nova data da sentença ainda está por designar.