Sociedade

Mãe que abanava recém-nascido foi condenada a três anos de prisão mas vai cumprir pena em casa

Provocou lesões cerebrais graves no bebé.

O juízo Central Criminal do Porto condenou, esta sexta-feira, a três anos de prisão, uma mulher de Vila Nova de Famalicão, por maltratar o seu filho com um mês de idade. Num caso que remonta a outubro de 2018.

O tribunal deu como provado que a mulher abanou violentamente por diversas vezes o bebé recém-nascido, tendo-lhe causado graves lesões cerebrais.

Segundo o acórdão, citado pela TVI24, o coletivo de juízes considerou que a arguida não agiu por "sentimentos de malvadez", mas com o objetivo específico de que o bebé parasse de chorar.

A sentença será cumprida em casa sob vigilância eletrónica, como optou a arguida, a quem foi dado a escolher: cumprir metade da pena, ou seja1,5 anos na cadeia ou passar os três anos em prisão domiciliária, o que preferiu.

A arguida ficou também inibida de exercer o poder paternal por 10 anos e do exercício de profissões em que tenha de lidar com crianças, tendo ainda de pagar 20 mil euros à ofendida.

A criança foi entregue a uma família de acolhimento.