Sociedade

Funcionária do Pingo Doce fica em pé oito horas durante três dias à entrada da loja

A empresa deixou de dar tarefas à funcionária, fazendo-a apenas cumprir o seu horário de trabalho.

Uma funcionária do Pingo Doce esteve, alegadamente, durante três dias em pé na entrada da loja onde trabalha, em Avintes, Vila Nova de Gaia, sem funções atribuídas, avançou a TVI24.

Segundo a mesma fonte, a empresa terá apresentado uma proposta de rescisão de contrato que a trabalhadora não aceitou. Após esta situação, a empresa deixou de dar tarefas à funcionária, fazendo apenas com que cumprisse o seu horário de trabalho.

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio e Serviços está a acompanhar o caso e acredita que se tenha tratado de um "castigo" por parte da gerência, na sequência de a funcionária não ter aceitado o acordo. 

Entretanto, fonte oficial do Pingo Doce nega qualquer tipo de vingança contra a funcionária e afirma que esta se encontra "suspensa preventivamente, sem perda de retribuição, devido a um processo disciplinar", o que a impede de excercer funções laborais no seu local de trabalho.

A mesma fonte alega ainda que "por motivo desconhecido" e "por sua iniciativa", a funcionária decidiu "apresentar-se na loja e ficar de pé junto às caixas, recusando-se a abandonar o local".