Sociedade

"Ainda há alguém que não percebeu que o criminoso não sou eu"

O MP acusa Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto, de sete crimes na sequência da divulgação do conteúdo de emails do Benfica.

DR  

Francisco J. Marques comentou, esta sexta-feira, o facto de ser acusado pelo Ministério Público (MP) de violação de correspondência e acesso indevido na sequência da divulgação do conteúdo de emails do Benfica no Porto Canal.

“Portugal continua em contramão com a Europa e acusa quem expõe práticas irregulares ou ilegais e quem denuncia atropelos à verdade desportiva. Ainda há alguém que não percebeu que o criminoso não sou eu, nem o Diogo Faria, nem o Júlio Magalhães?”, escreveu numa publicação partilhada no Twitter.

Recorde-se que o MP acusa Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto, de sete crimes - seis de violação de correspondência e um de acesso indevido. Segundo o Correio da Manhã, além de Francisco J. Marques, também Júlio Magalhães, diretor do Porto Canal, e Diogo Faria, comentador do programa onde os emails foram divulgados, são visados na acusação do MP. Júlio Magalhães é acusado de três crimes de violação de correspondência e Diogo Faria vai responder por dois crimes.