Politica

“Enquanto houver portugueses a ganhar pensões de 100 euros, estaremos nas tintas para a Constituição”

Líder do Chega apresentou candidatura a Belém em Portalegre com várias críticas a Marcelo e Costa.

André Ventura esteve está sábado em Portalegre onde apresentou a candidatura à Presidência da República com cerca de 500 apoiantes presentes.

Ventura começou por dizer que “nós não nos escondemos e por isso estamos aqui a dizer hoje que queremos outro regime para Portugal, que esta República já não serve e que queremos passar para a quarta República portuguesa”.

“Hoje damos este primeiro grande passo, não somos como aqueles que ficam escondidos atrás do arbusto toda a vida, damos a cara, dizemos ao que vimos e o projeto enorme de mudança que temos para Portugal", continuou André Ventura.

O líder do Chega visou por diversas vezes Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa, considerando que a Constituição “já não serve o país”.

"Enquanto houver portugueses a ganhar pensões de 100 euros, estaremos nas tintas para a Constituição. Enquanto houver polícias agredidos nos seus quartéis, professores, bombeiros e profissionais de saúde, estaremos nas tintas para a Constituição".