Desporto

Diogo Jota. Onde é que já vimos este filme?

O jogador esteve em grande destaque depois de uma semana de sonho na Liga Europa e na Premier League. Não é, porém, uma novidade este apetite voraz pelos golos – e em especial pelos hat-tricks. Bater recordes está-lhe no sangue desde os tempos do Gondomar, onde o sonho teve o pontapé de saída.

Diogo José Teixeira da Silva. O Diogo J. utilizado na camisola haveria de o batizar pelo caminho como Diogo Jota. E foi assim que o jogador português foi destacado ao longo dos últimos dias, depois de uma semana em que viveu um verdadeiro conto de fadas. Ao serviço do Wolverhampton, o extremo marcou cinco golos em dois jogos (disputados em quatro dias). Na primeira mão dos 16 avos de final da Liga Europa, Jota fez um hat-trick na goleada por 4-0 aplicada ao Espanyol, e já na Liga inglesa bisou na vitória (3-0) dos lobos ante o Norwich. Os três golos apontados na prova europeia não foram uma surpresa, já que antes, em dezembro, tinha feito praticamente o mesmo. Ou seja, também apontou três golos na prova, mas em apenas 11 minutos, depois de ter começado o jogo ante o Besiktas, a contar para a fase de grupos da prova, no banco – foi lançado já na segunda metade (56’), assinando três golos até aos 68 minutos do encontro. Tratou-se, claro, de um registo histórico, uma vez que foi o hat-trick mais rápido apontado na prova europeia. Mais: com os dois hat-tricks, Jota passou a integrar o lote restrito de jogadores que somam seis golos em dois jogos em competições internacionais. Em Portugal, antes do extremo de 23 anos, só Cristiano Ronaldo e Manuel Fernandes (pelo Lokomotiv) tinham conseguido este feito. Para além de ter sido eleito o melhor jogador da semana na segunda prova da UEFA, o internacional português tem também sido peça-chave dos lobos de Nuno Espírito Santo no campeonato. Com 34 presenças entre todas as competições nesta nova época, o atacante conta com 14 golos e cinco assistências assinadas ao serviço da equipa mais portuguesa de Inglaterra, clube com quem tem contrato até 2022. Os números e as exibições do extremo não têm deixado ninguém indiferente, sobretudo o Manchester United, que pretende juntar Jota aos compatriotas Bruno Fernandes e Diogo Dalot. Depois da contratação do ex-Sporting, o emblema de Old Trafford parece querer continuar a recrutar talento português. De acordo com a imprensa internacional desportiva, Jota já integrava há algum tempo a lista de desejos do United, que terá ficado ainda mais convencido a avançar com a compra do passe do jogador depois das mais recentes performances.

 

Do Gondomar à Premier League

Diogo Jota encontra-se atualmente a cumprir a terceira temporada ao serviço do Wolverhampton. Em 2017/18 chegou ao clube, que militava no Championship (segunda divisão inglesa), tornando-se um dos rostos principais da subida da equipa ao principal escalão do futebol inglês (na época de estreia pelo wolves alinhou em 46 jogos e apontou 18 golos). Já na Premier League continuou a ser um dos jogadores intocáveis no conjunto de Nuno Espírito Santo, apontando 10 golos (37 jogos) em 2018/19, época em que o Wolverhampton ficou conhecido como a equipa sensação de Inglaterra. Formado no Gondomar, o então médio começou a dar cartas desde muito cedo. A provar isso mesmo estava o facto de o jogador chegar a competir pelos juvenis e pelos juniores do clube durante o mesmo fim de semana. Para a história ficaram os dois hat-tricks seguidos à mesma equipa, o Candal – no sábado apontou três golos ao serviço dos juvenis, e já no domingo, repetiu a proeza, desta vez pelos juniores. Da capital da ourivesaria saltou para a capital do móvel, com o Paços de Ferreira a contratar o jovem português. Nos castores, Jota também não demorou a quebrar novos recordes. Ainda não tinha atingido a maioridade quando Paulo Fonseca o lançou pela primeira vez na equipa principal. Mais uma estreia de sonho, com um golo na Taça de Portugal 2014/15. Cobiçado pelos grandes do futebol português, o Atlético de Madrid acabaria por ganhar a corrida pelo internacional português, emprestando-o depois ao FC Porto, à época orientado por... Nuno Espírito Santo. Nos azuis e brancos, Jota voltou a fazer história, graças a um... hat-trick, pois claro, no seu jogo de estreia. Na Madeira, no jogo contra o Nacional, a contar para a jornada 7 do campeonato português, o extremo apontou três golos na primeira metade do encontro. A mudança para Inglaterra, na altura vista como um risco, acabou por ser a grande mudança de Jota. O Wolverhampton adquiriu entretanto o passe definitivo do jogador, pagando aos colchoneros 14 milhões de euros, montante que pode mais do que duplicar segundo os valores que a imprensa diz que o Manchester United está disposto a desembolsar para garantir o internacional português já no próximo mercado de verão. O atual momento de forma do português levou, em novembro último, à sua estreia pela seleção portuguesa, no encontro ante a Lituânia, de qualificação para o próximo Campeonato da Europa. Nesse encontro, Jota entrou aos 83 minutos para render... o capitão Cristiano Ronaldo, um momento marcante, que o próprio jogador assinalou nas redes sociais. Jota foi convocado pela primeira vez por Fernando Santos para os jogos com a Ucrânia e a Sérvia, e promete, de resto, tornar-se presença cada vez mais assídua entre os eleitos do selecionador campeão europeu.