Internacional

Human Rights Watch denuncia políticas "draconianas" do Governo grego para com refugiados

A decisão da Grécia de deter mais de 450 pessoas num navio e a recusa em permitir que os migrantes apresentem pedidos de asilo viola flagrantemente a lei internacional e europeia, disse a Human Right Watch.

A organização internacional de direitos humanos apelou ao Governo grego para pôr um travão nas medidas “draconianas” que estão a levar a cabo contra requerentes de asilo.

A decisão da Grécia de deter mais de 450 pessoas num navio e a recusa em permitir que os migrantes apresentem pedidos de asilo viola flagrantemente a lei internacional e europeia, disse a Human Right Watch.

“A recusa em permitir que as pessoas sob a sua custódia peçam asilo e a ameaça aberta de as enviar de volta para os seus perseguidores voam em face das obrigações legais que a Grécia concordou e os valores principais que diz representar”, disse Bill Frelick, refugiado e diretor de direitos de migrantes da organização. “A Grécia deve reverter imediatamente esta política draconiana”.

Os 450 requerentes de asilo em causa foram interditados pela guarda costeira grega no dia 1 de março, encontrando-se ao largo do porto de Mitilene, em Lesbos . As autoridades locais não permitem a organização entrar no navio.

As imagens fornecedas à Human Rights Watch mostram um tapete humano de centenas pessoas, incluindo muitas crianças e mulheres, no chão, cobertas com lençóis e cobertores no casco do navio da marinha. Segundo o homem que forneceu as imagens à organização, estão 450 pessoas requerentes de asilo a bordo do navio, de acordo com a lista de refeições.