Politica

PSD/Lisboa. Distrital apela à declaração de Estado de Emergência

Distrital do PSD de Lisboa que "só a declaração do Estado de Emergência pode salvaguardar o nosso País e os portugueses".  E pede-se o "controlo das entradas e saídas no aeroporto e porto de Lisboa, bem como por via de transportes ferroviário e rodoviário".

É mais um sinal de pressão junto do Governo. A distrital do PSD de Lisboa emitiu este domingo um comunicado onde apela ao Executivo que avance para uma solução mais musculada: a declaração do Estado de Emergência.

"Face à singularidade e gravidade do momento que o país atravessa, é nosso entendimento que só a Declaração do Estado de Emergência pode salvaguardar o nosso país e os portugueses, pelo que apelamos ao Senhor 1º Ministro que de imediato a solicite ao Senhor Presidente da República, por sua pronta iniciativa", escreve a distrital social democrata de Lisboa, liderada por Ângelo Pereira.

A estrutura do PSD distrital da capital começa por considerar que se avance, o quanto antes, para o "controlo das entradas e saídas no aeroporto e porto de Lisboa, bem como por via de transportes ferroviário e rodoviário, colocando qualquer cidadão vindo de uma zona de risco em quarentena imediata e efetuando aos cidadãos em trânsito as medições de temperatura adequadas, a fim de garantir a segurança de todos".

Os sociais-democratas da distrital do PSD/Lisboa recordam que "diariamente entram cidadãos oriundos indiretamente de Itália e de outros países que já se encontram em quarentena, entrando eles no nosso país, sem qualquer tipo de controlo e sem quarentena preventiva". Por outro lado, é preciso distribuir equipamento de proteção aos trabalhadores do aeroporto e do porto de Lisboa para salvaguarda dos próprios e dos cidadãos que se encontram em trânsito.

No referido comunicado, o PSD distrital de Lisboa defende ainda que a "Autoridade Nacional de Emergência Médica e de Proteção Civil assuma, de imediato, um papel mais preponderante no terreno em articulação com Ministério da Administração Interna e com o Ministério da Defesa.