Sociedade

Turistas de cruzeiro que vieram de autocarro para Portugal estão a ser acompanhados, diz ministro

A garantia é dada por Eduardo Cabrita que, contudo, não explicou por que se proibiu o desembarque em Portugal, mas permitiu-se a entrada de dois mil passageiros de um cruzeiro, que acabou por ter de atracar em Espanha.

O ministro da Administração Interna foi confrontado, este domingo, sobre os turistas que vieram de autocarro para Lisboa, depois de terem desembarcado – excecionalmente - de um cruzeiro que tinha como destino a capital portuguesa e atracou em Cádis, Espanha, por Portugal ter já proibido o desembarque.

Segundo Eduardo Cabrita, três quartos dos cerca de dois mil turistas que vieram de autocarro para Lisboa saíram já de avião do território nacional. Quanto aos restantes, estão a ser devidamente acompanhados pelas autoridades e continuarão a sê-lo até à sua partida, prevista para os próximos dias, sublinhou o ministro.

O governante fez questão de lembrar que as fronteiras não foram fechadas, embora reconheça que as medidas adotadas por Espanha impedem quaisquer deslocações turísticas a Portugal. Assim, Eduardo Cabrita acaba por não explicar a razão para a permissão de entrada no país destes dois mil passageiros.